Mini Contratos Futuros - Mini Índice, Mini Dólar e outras Commodities

O capital necessário para investir no mercado futuro é consideravelmente mais alto em comparação ao mercado de ações. No intuito de atrair os pequenos e médios investidores nos últimos anos a BM&F disponibilizou os mini contratos futuros, equivalentes a 20% do contrato futuro padrão. Para se ter uma ideia o tamanho de um contrato cheio de dólar é US$ 50.000,00, já o do mini-dólar é de U$ 10.000,00, sendo possível operá-lo em unidades, diferente dos contratos cheios que são negociados em lotes.

Da mesma forma, a margem requerida para operar esses contratos é muito mais baixa em relação aos contratos cheios. No caso do mini dólar a margem inicial gira em torno de R$ 3.500,00 por contrato. Atualmente no Brasil já existem contratos míni para: Índice Bovespa Futuro e Dólar.

Para que um investidor abra uma posição comprada ou vendida num mini contrato futuro é requerido um depósito de margem de garantia que cubra um determinado nível de variação do preço do contrato, não havendo necessidade de pagar por todo o contrato. Além disso, ações, títulos públicos e outros ativos podem ser utilizá-los como margem de garantia para comprar ou vender mini contratos, permitindo maior alavancagem e facilidade para o investidor.

Dependendo da volatilidade do mercado a BM&F pode efetuar ajustes diários (novas chamadas de margem) nas contas de seus clientes a fim de manter os limites de risco da posição assumida. E após encerramento da posição é feita a devolução da margem, a qual é remunera no fundo de renda fixa BB/BM&F pelo prazo que ficou bloqueada à uma taxa próxima ao CDI.

“Se você encontrar um caminho sem obstáculos ele provavelmente não leva a lugar nenhum”.

Frank Clark

Algumas corretoras disponibilizam margens menores para investidores que fazem day trade com mini contratos. Em alguns casos é possível até mesmo alavancar a margem de 3 a 8 vezes. Como a princípio as posições serão encerradas no mesmo dia, o risco para a corretora é menor. E dependendo do número de ordens executadas no mês também é oferecido descontos na taxa de corretagem para operações deste tipo, assim como o acesso a plataformas de operações mais sofisticadas que o home broker padrão. Vale ressaltar que nos mini contratos a corretagem é fixa, sendo cobrada por contrato, variando em média entre R$ 0,20 e R$ 3,00 sobre cada contrato operado.

É importante observar que a margem por contrato é a mesma tanto para abrir uma posição comprada quanto para abrir uma posição vendida. Conforme visto anteriormente, o mercado à vista não tem tal flexibilidade. Para abrir uma posição vendida no mercado de ações é preciso alugar a ação para então vendê-la no mercado à vista. Procedimento um pouco mais trabalhoso do que simplesmente comprar ações, sem contar que requer margens de garantia.

Assim, uma das vantagens do mercado futuro é a facilidade para operar tanto comprado quanto vendido, o que possibilita ao investidor tomar vantagem dos períodos de queda do mercado. Ao realizar uma operação de compra, para encerrá-la o investidor deverá realizar a operação contrária, ou seja, a venda dos contratos, e caso tenha realizado uma operação de venda deverá realizar a compra dos contratos.

Além disso, caso esteja comprado em 10 contratos e queira reverter sua posição, ou seja, ficar vendido em 10 contratos, o investidor pode simplesmente vender 20 contratos de uma só vez. Liquidando assim a sua posição comprada de 10 contratos ao mesmo tempo em que abre uma posição vendida em 10 contratos, e vice versa.

A liquidação dos mini contratos na data do seu vencimento é financeira, ou seja, não ocorre a entrega da mercadoria, apenas o ajuste final da posição do comprador e do vendedor. O valor desse ajuste é precificado no valor do último negócio do dia de seu vencimento, quando todas as posições são encerradas.

Além da margem de garantia de cada contrato é preciso disponibilizar em conta uma margem para os ajustes diários. Recomenda-se manter em conta no mínimo 10% do valor da posição, de maneira que pequenas variações contrárias à posição do investidor não o obriguem a liquidar parte de sua posição ou a realizar novos depósitos para atender a chamadas de margem.

“O mercado, assim como Deus, ajuda àqueles que ajudam a si mesmos. Mas diferente de Deus, o mercado não perdoa àqueles que não sabem o que estão fazendo”.

Warren Buffett

O ajuste diário é realizado até as 9:00 horas do dia seguinte na conta do investidor na corretora. Caso sua posição tenha gerado prejuízo, o débito correspondente ao prejuízo obtido no dia anterior é realizado na conta, de forma que a margem requerida para cada contrato se mantenha constante. Este valor será creditado na conta do investidor que está na outra ponta do contrato, o qual obteve lucro.

Em suma, para manter uma posição em 1 contrato de mini índice, por exemplo, será necessário possuir um saldo mínimo em conta de R$ 3.500,00. Qualquer lucro obtido será creditado na conta no dia seguinte e caso o saldo fique abaixo desse valor será requisitado ao investidor que deposite margem adicional para completar a margem do contrato.

Além da margem operacional, a negociação de mini contratos futuros envolve custos tais como emolumentos e imposto de renda. Para este último as regras são as mesmas do mercado a vista, a única diferença é que não existe a isenção para operações com valor abaixo de R$20.000,00. Para investidores posicionados a alíquota é de 15%  sobre o lucro, sendo retido na fonte 0,05% desse valor, e para operações de Day Trade a alíquota é de 20%, sendo retido na fonte 1% desse valor. Com relação aos emolumentos:

• Investidores posicionados:
Negociação – 0,0087%
Liquidação – 0,0017%
Registro – 0,0076%
Total = 0,0180%

• Operações de day-trade:
Negociação – 0,0061%
Liquidação – 0,0017%
Registro – 0,0015%
Total = 0,0093%

Em razão da alavancagem no mercado futuro, existe um limite de oscilação diário para o preço de cada contrato futuro. Funciona como um mecanismo de proteção para os investidores contra eventuais variações de preço exageradas, as quais podem gerar grandes prejuízos num curto espaço de tempo dado a alavancagem dos contratos. Assim, a bolsa estabelece um valor máximo e um valor mínimo que a cotação de um contrato futuro pode atingir durante o pregão. Uma vez que tais limites sejam atingidos suspendem-se temporariamente as negociações no pregão.

• Mini Índice – 10,00% sobre o preço de ajuste do dia anterior
• Mini Dólar – 6,00% sobre o preço de ajuste do dia anterior

Num cenário normal de mercado os contratos com prazos de vencimentos mais longos são mais caros em relação aos contratos com vencimentos mais próximos. Da mesma forma, à medida que o prazo de vencimento do contrato se aproxima o seu preço futuro tende a convergir para o preço do mercado à vista, de forma que no vencimento sejam praticamente iguais.

Contudo, existe uma situação rara chamada de mercado invertido, em que essa tendência natural dos preços dos contratos pode ser alterada em caso de escassez momentânea de estoques físicos ou perspectiva de excesso de oferta física ou de queda nas cotações dos meses mais longínquos. Situação em que o preço à vista será superior ao preço do contrato futuro mais próximo (preço à vista maior do que o preço futuro) e, consequentemente, os contratos com vencimentos mais longos estarão sendo negociados a valores mais baixos em relação aos contratos de vencimento mais próximo.

Cada mini contrato futuro têm características particulares, a começar pelo tamanho. Atualmente estão disponíveis para negociação na BM&F míni contratos com os seguintes tamanhos: Mini Índice Bovespa R$ 0,20 por ponto; Mini Dólar Futuro 10.000,00 USD sendo R$ 10,00 por ponto.

"A coragem é a primeira das qualidades humanas porque garante todas as outras".

Aristóteles

• Mini Índice Bovespa: Esse contrato reflete as expectativas sobre o desempenho futuro da carteira de ações formadora do índice Bovespa. À medida que as expectativas de valorização ou de desvalorização do índice se efetivam, ou seja, o mercado segue um movimento de alta ou de baixa, a tendência é de que os contratos de índice futuro valorizem ou desvalorizem respectivamente em proporção similar, mas não necessariamente igual. Isto quer dizer que a correlação de ambos é muito alta, ou seja, um tende a acompanhar o outro.

A margem inicial para operar um contrato de mini índice está em torno de R$ 3.500,00. O horário de negociação é de 2ª a 6ª feira das 9h00 às 17h30 no horário normal e das 10h00 às 18h30 no horário de verão. Os vencimentos desses contratos ocorrem nos meses pares na quarta feira mais próxima do dia 15. Se esse dia for feriado ou não houver pregão na BM&FBOVESPA, a data de vencimento será o dia útil subseqüente. 

Os contratos são identificados de acordo com o mês e ano de seu vencimento e o código WIN, ex: WINZ12 (contrato de mini índice futuro com vencimento em dezembro de 2012). 

Fevereiro 2012 – G – WING12
Abril 2012 – J – WINJ12
Junho 2012 – M – WINM12
Agosto 2012 – Q – WINQ12
Outubro 2012 – V – WINV12
Dezembro 2012 – Z – WINZ12

Após depositar a margem de garantia referente ao número de contratos que o investidor deseja operar, basta enviar a ordem de compra/venda. Um contrato de mini índice futuro é negociado em leilão da mesma forma que no mercado de ações. A variação mínima é de 5 pontos e o lote mínimo é de 1 unidade. Cada ponto de variação do mini índice corresponde a R$ 0,20 e o preço de cada contrato corresponde ao seu valor em pontos.

Acima temos o leilão do mini índice bovespa com vencimento em outubro de 2012. Para abrir uma posição vendida em 10 contratos o investidor poderia enviar uma ordem de venda de 10 WINV12 a 57.470. Supondo que até o final do pregão o contrato sofra uma desvalorização de 1,69%, estando cotado a  56.500, e o investidor recompre os 10 contratos para encerrar sua posição, seu lucro seria de R$ 1940,00 (970 pontos X 0,20 X 10 contratos) ou 5,5 % sobre a margem de R$ 35.000,00 requerida para os 10 contratos.

A operação resultou num crédito de R$ 1940,00 para o vendedor, o qual será debitado do comprador e depositado na conta do investidor em D+1 através do ajuste diário da posição. Contudo, se ao invés de valorizar, a cotação do mini índice tivesse desvalorizado 1,69%, e o investidor encerrasse sua posição, obviamente ele teria um prejuízo de R$ 1940,00, pois teria que pagar essa variação ao comprador dos contratos.

Podemos perceber que assim como qualquer outro contrato futuro, os contratos de mini também são alavancados. No exemplo uma variação de 1,69% na cotação do contrato resultou num lucro de 5,5% sobre o capital investido na operação. Ou seja, com uma margem de R$ 35.000,00 o investidor abriu uma posição de 10 contratos cujo valor financeiro é de R$ 114.940,00 (57.470 X 10 X 0,20), o que demonstra uma alavancagem de 3,3 vezes sobre a margem requerida.

Portanto, existe o risco potencial do investidor perder todo o valor disponibilizado como margem inicial se o preço do ativo se mover contra a posição que fora aberta. Se isso acontecer e o investidor não encerrar sua posição ou realizar depósitos de margens adicionais a corretora pode liquidar a sua posição para cobrir o prejuízo da operação.

Com relação ao comportamento do ibovespa futuro, bem como do mercado de ações em geral, estudos estatísticos revelam grande influência na direção dos preços em razão das compras e vendas realizadas por investidores estrangeiros. Em alguns casos a correlação entre as posições assumidas pelos estrangeiros e a direção do índice foi superior a 70%. Ou seja, na maioria das vezes em que o índice sobe os estrangeiros possuem mais posições compradas do que vendidas no mercado e vice-versa.

“A busca constante por excitação e movimentos de preço independentemente das condições subjacentes é responsável por muitas perdas em Wall Street, mesmo entre os profissionais, que sentem que todos os dias devem levar para casa algum dinheiro, como se estivessem trabalhando por salários regulares”.

Jesse Livermore

Além das estratégias especulativas é muito comum a utilização de contratos de índice futuro como instrumento de hedge para uma carteira de ações. Situação em que para se proteger de uma queda do mercado o investidor utiliza suas ações como margem de garantia para a realização de uma venda de contratos de índice futuro, de forma que o prejuízo de uma desvalorização no preço de suas ações seja abatido pelo lucro da posição vendida em contratos de índice, havendo ainda a possibilidade do recebimento de dividendos e demais proventos sobre sua carteira de ações, a qual será mantida durante este período.

Supondo que um investidor possua uma carteira de ações com valor de mercado de R$ 75.000,00 e, diante de um cenário de queda do mercado, queira protegê-la de uma desvalorização, estando o contrato de mini índice futuro com vencimento mais próximo cotado a 58.000 pontos, ou seja, R$ 11.600,00 (58.000 X R$ 0,20). Ele poderia utilizar sua carteira como margem para a venda de 7 contratos de mini índice futuro, quantidade cujo valor é quase que equivalente ao de sua carteira.

Se após um determinado período o mini índice futuro sofrer uma desvalorização de 10%, desde que a desvalorização no valor de sua carteira seja inferior ou próxima a isso o investidor terá compensado o prejuízo da carteira de ações com o lucro da posição vendida no mini índice. Supondo que a sua carteira tenha se desvalorizado 8% neste período, ou seja, um prejuízo de R$ 6.000,00 para o investidor, a posição vendida em mini índice terá lhe rendido um lucro de R$ 8.120,00 (5.800 X 0.2 X 7 contratos).

Entretanto, caso a desvalorização de sua carteira tivesse sido superior à desvalorização do índice futuro essa operação de hedge teria protegido o investidor apenas contra uma parte do prejuízo sofrido. Em razão da imprevisibilidade do comportamento futuro, tanto da cotação de suas ações como do próprio índice futuro, é muito difícil realizar um perfeito balanceamento entre a ponta comprada e a ponta vendida num hedge de ações com índice futuro.

Muitos investidores ao realizar um hedge levam em consideração para o cálculo da quantidade de contratos de índice que irão vender a performance histórica de sua carteira de ações em relação ao índice de ações, ou seja, o coeficiente beta da carteira. Contudo, esse indicador não é garantia alguma da performance futura para uma carteira de ações. Nos últimos anos estudos estatísticos têm provado a ineficiência do beta como mecanismo de balanceamento de hedge.

Em razão disso, recomenda-se a venda de uma quantidade de contratos de índice em valor um pouco acima ao da carteira que se queira proteger. De forma que se a desvalorização da carteira for superior à desvalorização do índice o investidor ainda possuirá certa margem de proteção, a qual se tornará lucro caso a desvalorização da carteira for inferior à do contrato de mini índice futuro.

"Aqueles que não fazem nada estão sempre dispostos a criticar os que fazem algo".

Oscar Wilde

• Mini Dólar Futuro: Esse contrato reflete as expectativas sobre o desempenho da taxa de câmbio de reais por dólar dos Estados Unidos, possibilitando aos pequenos investidores que negociem quantidades menores em relação ao contrato “cheio” para se proteger contra a oscilação de preço do dólar. Cada contrato equivale a US$ 10.000,00 ou 20% do contrato do dólar futuro.

A margem inicial para operar um contrato de mini dólar está em torno de R$ 3.500,00. O horário de negociação é de 2ª a 6ª feira das 9h00 às 18h00 inclusive durante o horário de verão. Os vencimentos desses contratos ocorrem mensalmente no 1º dia útil do mês de vencimento do contrato. Se esse dia for feriado ou não houver pregão na BM&FBOVESPA a data de vencimento será o dia útil subseqüente. Os contratos são identificados de acordo com o mês e ano de seu vencimento e o código WDO, ex: WDOV12 (contrato de mini dólar futuro com vencimento em outubro de 2012).

Janeiro 2012 – F – WDOF12   Julho 2012 – N – WDON12
Fevereiro 2012 – G – WDOG12   Agosto 2012 – Q – WDOQ12
Março 2012 – H – WDOH12   Setembro 2012 – U – WDOU12
Abril 2012 – J – WDOJ12   Outubro 2012 – V – WDOV12
Maio 2012 – K – WDOK12   Novembro 2012 – X – WDOX12
Junho 2012 – M – WDOM12   Dezembro 2012 – Z – WDOZ12

Um contrato de mini dólar futuro é negociado em leilão. Ao comprar ou vender um contrato de dólar no mercado futuro o investidor está expondo seu capital à variação cambial de uma quantidade determinada de dólares. No mini contrato esta quantidade é de US$ 10.000 por contrato, sendo a variação mínima R$ 0,50 por US$ 1.000 e o lote mínimo é 1 unidade. Cada ponto de variação do mini dólar corresponde a R$ 10,00 e o preço de mercado de cada contrato corresponde ao valor de US$ 1.000 em reais. Por exemplo, um contrato cotado a 2.052,50, implica que a cotação de 1 dólar frente a 1 real está em R$ 2,0525.

Acima temos o leilão do mini dólar com vencimento em outubro de 2012. Para abrir uma posição comprada em 10 contratos o investidor poderia enviar uma ordem de compra de 10 WDOV12 a 2.059,00 pontos. Supondo que até após uma semana o contrato sofra uma valorização de 2% estando cotado a 2.100,50 pontos e o investidor venda os 10 contratos para encerrar sua posição, seu lucro seria de R$ 4118,00 (41,18 pontos X R$ 10,00 X 10 contratos) ou 11,76 % sobre a margem de R$ 35.000,00 requerida para os 10 contratos.

A operação resultou num total de créditos de ajuste de R$ 4418,00 para o comprador, os quais foram debitados do vendedor e depositados na conta do investidor através do ajuste diário da posição. Contudo, se ao invés de valorizar a cotação do mini dólar tivesse desvalorizado 2% e o investidor encerrasse sua posição, obviamente ele teria um prejuízo de R$ 4118,00, pois teria que pagar essa variação ao vendedor dos contratos.

Os mini contratos de dólar futuro possibilitam que o pequeno investidor realize operações de hedge cambial no intuito de se proteger contra variações na cotação da moeda. Um hedge de venda é realizado por investidores que receberão dólares e querem se proteger contra uma eventual desvalorização da moeda frente ao real.

Assim, um exportador que irá receber US$ 50.000,00 como pagamento por uma venda poderá vender 5 mini contratos futuro de dólar com vencimento próximo à data em que será recebido o pagamento. Em suma, se a cotação do dólar cair o investidor estará protegido, e se subir, deixará de ganhar a valorização da moeda, pois a perderá na operação de hedge.

Já o hedge de compra é realizado por investidores que precisarão comprar dólares e querem se proteger contra uma eventual valorização da moeda frente ao real. Assim, um importador que terá que pagar pela compra de um produto US$ 50.000,00 poderá comprar 5 mini contratos futuro de dólar com vencimento próximo à data em que terá que realizar o pagamento. Em suma, se a cotação do dólar subir o investidor estará protegido, e se cair, pagará mais barato na compra da moeda, contudo, perderá a diferença na operação de hedge.

"Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância".

Sócrates

Os mini contratos de índice e de dólar são extremamente líquidos, muitas vezes apresentando giro diário acima de 10 bilhões de reais. Apesar de significar segurança para os investidores, esse excesso de liquidez é o resultado de intensas movimentações e manipulações por parte de investidores institucionais através de milhares de operações realizadas através de robôs. A ação desses investidores gera muito “ruído” na tendência do preço desses contratos. Tais movimentos bruscos, contrários à tendência principal do preço do contrato, juntamente com a alavancagem, podem facilmente fazer com que o investidor seja obrigado a encerrar uma posição em razão de prejuízos momentâneos causados por oscilações relativamente pequenas.

Em razão disso, recomenda-se aos investidores que pretendem operar no mercado futuro cautela ao lidar com a alavancagem, assim como o acompanhamento regular da posição aberta. Diferentemente de uma ação, um contrato futuro possui prazo de vencimento e é operado através de margem. Logo, um investidor com uma posição perdedora no mercado futuro não pode se dar ao luxo de esperar até que ela comece a dar lucro, pois o risco é significativamente maior.

“O que nós fazemos não está além da competência de uma pessoa qualquer. Não é preciso realizar coisas extraordinárias para que se obtenha resultados extraordinários”.

Warren Buffett

Adquirida já por R$ 19,50 todo o CONTEÚDO dos módulos de Introdução, Análise Técnica, Estratégias de Investimentos e Análise Fundamentalista no Ebook Capital e Valor nos formatos KindlePDF e EpubClique aqui para maiores informações!

Além dos artigos de educação financeira, o portal Capital e Valor disponibiliza Análises Financeiras, Cotações e Múltiplos calculados em Tempo Real, Evolução dos Resultados e Indicadores em Gráficos Interativos, Rankings de Desempenho Setorial e Geral das S/A, um Banco de Dados em planilha com os Resultados Trimestrais Históricos (ITR e DRE), Múltiplos e Cotações de mais de 376 empresas listadas na Bovespa, bem como um Módulo Financeiro para controle de finanças pessoais, planejamento e evolução econômica. Acesse aqui e aproveite dos nossos serviços.