Como Funciona a Relação entre as Opções e seu Ativo Objeto?

O preço de mercado (prêmio) das opções de compra e o preço de mercado das opções de venda possuem uma relação inversa. À medida que o preço do ativo objeto se valorizar uma call também se valorizará. Assim uma call PETRG20 com valor de mercado de R$ 0,80, estando o ativo objeto PETR4 a R$ 20,00, se valorizará para algo em torno de R$ 1,80 caso preço do ativo PETR4 suba para R$ 21,00. Com uma valorização de 5% no preço do ativo objeto o preço da opção de compra valorizará algo em torno de 125%.

Já no caso de uma put, ela se desvalorizará à medida que o ativo se valorizar. Logo, uma put PETRS20 com valor de mercado de R$ 0,80, estando o ativo objeto PETR4 a R$ 20,00, se desvalorizará para algo em torno de R$ 0,20 caso preço do ativo PETR4 suba para R$ 21,00. Com uma valorização de 5% no preço do ativo objeto o preço da opção de venda se desvalorizará algo em torno de 75%.

"Daqui a vinte anos você estará mais desapontado pelas coisas de que não fez do que pelas quais fez".

Mark Twain

Ao contrário, à medida que o preço do ativo objeto se desvalorizar uma call também se desvalorizará. Assim uma call PETRG20 com valor de mercado de R$ 0,80, estando o ativo objeto PETR4 a R$ 20,00, se desvalorizará para algo em torno de R$ 0,20 caso preço do ativo PETR4 caia para R$ 19,00. Com uma desvalorização de 5% no preço do ativo objeto o preço da opção de compra se desvalorizará algo em torno de 75%.

Inversamente, uma put se valorizará à medida que o ativo se desvalorizar. Uma put PETRS20 com valor de mercado de R$ 0,80, estando o ativo objeto PETR4 a R$ 20,00, se valorizará para algo em torno de R$ 1,80 caso preço do ativo PETR4 caia para R$ 19,00. Com uma desvalorização de 5% no preço do ativo objeto o preço da opção de venda valorizará algo em torno de 125%.

Os valores desses exemplos são apenas demonstrativos, podendo haver maiores ou menores variações em razão da expectativa do mercado, da proximidade da data de vencimento das opções e da ação dos investidores institucionais nos preços das opções e do ativo objeto. O importante é compreender que existe uma relação diretamente proporcional entre a variação do preço do ativo objeto e o preço da CALL e, uma relação inversamente proporcional entre a variação do preço do ativo objeto e o preço da PUT.

Se as condições de mercado não forem favoráveis à sua estratégia de investimento o comprador ou titular de uma opção corre o risco de perder todo o seu investimento, o prêmio pago, em um período de tempo relativamente curto. Esse risco reflete a natureza de uma opção como ativo esgotável que perde seu valor no dia de vencimento. Isto significa que o comprador de uma opção que não a venda no mercado secundário, nem a exerça até a data do seu vencimento, perderá todo o seu investimento na opção.

“Os prejuízos têm o péssimo hábito de se tornarem cada vez maiores ao invés de ficarem menores”.

Jake Bernstein

No exemplo acima temos o gráfico do lucro da compra de uma opção. No caso da compra da call de strike R$ 40,00, estando o preço do ativo objeto cotado a R$ 45,00 na data de vencimento da opção o investidor obterá um lucro de R$ 3,50 sobre o prêmio de R$ 1,50 pago pela call.

É possível perceber que sua posição só começa a mostrar lucro a partir do momento em que o preço do ativo objeto sobe acima de R$ 41,50. Esse é o ponto de equilíbrio da operação. Caso no dia do vencimento o preço de mercado do ativo objeto estiver abaixo desse valor o investidor terá prejuízo na sua posição, pois a opção estará valendo menos do que os R$ 1,50 pagos por ela.

No caso da compra da put de strike R$ 40,00, estando o preço do ativo objeto cotado a R$ 35,00 na data de vencimento da opção o investidor obterá um lucro de R$ 3,50 sobre o prêmio de R$ 1,50 pago pela put.

É possível perceber que sua posição só começa a mostrar lucro a partir do momento em que o preço do ativo objeto cai abaixo de R$ 38,50. Esse é o ponto de equilíbrio da operação. Caso no dia do vencimento o preço de mercado do ativo objeto estiver acima desse valor o investidor terá prejuízo na sua posição, pois a opção estará valendo menos do que os R$ 1,50 pagos por ela.

"Diz-se que o dinheiro não faz a felicidade: evidentemente alude-se ao dinheiro dos outros".

Sacha Guitry

Do lado do lançador, no caso de uma opção de compra ele obterá lucro se no dia de seu vencimento o preço do ativo objeto estiver abaixo do strike da call vendida. No exemplo caso o preço de mercado do ativo objeto na data do vencimento estiver abaixo de R$ 40,00, o lançador da opção de compra terá o lucro de R$ 1,50 (valor do prêmio no momento da venda da call).

O ponto de equilíbrio da posição vendida do lançador será R$ 41,50, ou seja, se o ativo objeto se valorizar acima desse valor ele será exercido e incorrerá em prejuízo na sua posição, pois o valor recebido como prêmio cobre apenas R$ 1,50 de alta no preço do ativo objeto.

E no caso do lançador de uma opção de venda, ele obterá lucro se no dia do vencimento o preço do ativo objeto estiver acima do strike da put vendida. No exemplo, caso o preço de mercado do ativo objeto na data do vencimento estiver acima de R$ 40,00, o lançador da opção de venda terá o lucro de R$ 1,50 (valor do prêmio no momento da venda da put).

O ponto de equilíbrio da posição vendida do lançador será R$ 38,50, ou seja, se o ativo objeto se desvalorizar abaixo desse valor ele será exercido e incorrerá em prejuízo na sua posição, pois o valor recebido como prêmio cobre apenas R$ 1,50 de queda no preço do ativo objeto.

 

A perda máxima para quem compra uma opção, seja ela call ou put, resume-se ao valor que pago pela opção (prêmio). Já o ganho máximo do comprador de uma put é equivalente ao preço de vencimento da opção (strike), visto que o mínimo que o preço do ativo objeto pode cair é a “zero”. Já o vendedor de uma put encontra-se na posição inversa. O seu ganho máximo resume-se ao prêmio recebido pela venda da opção, mas a sua perda máxima é equivalente ao strike da opção. Ou seja, o risco de sua posição lançadora de PUT é expressivamente maior em relação ao seu retorno (prêmio).

O comprador de uma call pode ter um ganho máximo ilimitado, uma vez que um ativo pode ser valorizar de forma ilimitada, não havendo um preço máximo. O vendedor de uma call encontra-se na posição inversa. O seu ganho máximo resume-se ao prêmio recebido pela venda da opção. Mas a sua perda máxima pode ser infinita caso seja um lançamento a descoberto, ou seja, caso não possua o ativo objeto e tenha realizado a venda da opção.

Caso possua o ativo objeto apenas será obrigado a vendê-lo pelo preço de strike da call, o qual por sua vez pode vir a ficar significativamente mais baixo em relação ao preço de mercado do ativo objeto, situação em que ainda incorreria num prejuízo significativo, pois deixaria de ganhar toda essa diferença. Ou seja, o risco de sua posição lançadora de CALL, independentemente de estar ou não coberta, é expressivamente maior em relação ao seu retorno (prêmio).

“Se alguma coisa pode dar errado, dará. E mais, dará errado da pior maneira, no pior momento e de modo que possa causar o maior dano possível”.

Murphy

Além dos artigos de educação financeira, o portal Capital e Valor disponibiliza Análises Financeiras, Cotações e Múltiplos calculados em Tempo Real, Evolução dos Resultados e Indicadores em Gráficos Interativos, Rankings de Desempenho Setorial e Geral das S/A, um Banco de Dados em planilha com os Resultados Trimestrais Históricos (ITR e DRE), Múltiplos e Cotações de mais de 376 empresas listadas na Bovespa, bem como um Módulo Financeiro para controle de finanças pessoais, planejamento e evolução econômica. Acesse aqui e aproveite dos nossos serviços.